Notícias › 23/02/2017

Seminário Frei Galvão celebra abertura do Jubileu

guara_230217_2

No domingo, dia 5 de março, a Fraternidade Franciscana São José e o Postulantado Frei Galvão abrirão oficialmente o Jubileu de 75 anos (Jubileu de Diamante) do Seminário Frei Galvão, durante a Celebração Eucarística, às 9h30, em Guaratinguetá (SP), presidida pelo Ministro Provincial Frei Fidêncio Vanboemmel.

O Seminário Frei Galvão nasceu em 1942, com finalidade de preparar jovens candidatos à vida franciscana. Estabeleceu-se um curso preparatório para o ginásio (hoje Ensino Fundamental), espécie de admissão. Os candidatos procediam do Estado de São Paulo; Minas Gerais; Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

A ideia da fundação vinha desde 1937. Pensava-se fundar um colégio para atender a esse objetivo, nessa zona da Província Franciscana da Imaculada. Frei Antonino Zimmermann agilizou a ideia.

guara_230217_1

Apareceu um terreno, propriedade do professor Benedito Vieira Rodrigues, no bairro de São Bento, em Guaratinguetá (SP). Começaram as negociações; chegaram-se à conclusão. O Provincial, Frei Marcelo Baumeister assentiu. O tal terreno tinha oito alqueires, boas plantações: milho, mandioca, pomar, com 1.365 laranjeiras de qualidade, um bom estábulo.

guara_230217_4

Primeira turma do Seminário Frei Galvão

A essa altura, a compra já estava mais ou menos resolvida. Dependia do Governo Provincial, em 1939. Houve certos obstáculos… Mas, Frei Antonino colocou sob a proteção de São José, e a coisa andou. Em 14 de janeiro de 1939, veio a ordem do governo provincial: – Comprar o terreno. Em janeiro desse mesmo ano, passou-se a escritura em cartório.

Em 1941, havia já a planta do Dr. José Arantes. A construção ficou a cargo do Frei Edgar Loers, guardião de Guaratinguetá. Na chácara havia uma cocheira do tipo antigo. Frei Bonifácio, em 1940, começou a construir alguns quartos ao lado, para abrigar frades que iriam cuidar da obra iniciada.

Em um quarto, acontecia diariamente uma Celebração Eucarística. A primeira datou-se de 29 de abril de 1941, celebrada por Frei João Vianei Erdrich. Continuou até que a igreja tenha ficado pronta.

Não se esquecia de nada: O pomar, os arredores eram cultivados e cuidados, com amor e carinho. Os serviços de escavações iniciaram-se em 22 de abril de 1941. Frei Edgar deu a bênção da pedra fundamental em 28 de abril. O Vigário do Sagrado Coração de Maria esteve presente.

Em 1942, em janeiro, o Definidor Provincial, vindo do Pari (SP) resolve que se começasse a funcionar o Colégio Frei Galvão, como o chamavam; embora não pronto ainda.

Como primeiro superior, Frei Antonino Zimmermann, era discreto e reitor, prefeito e professor. Frei Câncio Berri, também como discreto, vice-prefeito e professor… E, assim, foram os primeiros dias do Seminário Frei Galvão.

Era 1942 – 1º de fevereiro, chega Frei Dídimo Strunck, vindo de Rio Negro. Também, o primeiro aluno, Luís Ferreira Pinto. Tudo se movimentava em vista do novo empreendimento na Província… Às voltas com a construção do dormitório, cozinha, refeitório…

Os confrades vinham para visitar, procedentes do Rio, Espírito Santo, São Paulo, etc. Traziam alegria e estímulo… E em 23 de fevereiro, chegaram do Rio de Janeiro, 10 alunos; de São Paulo, 09; do Orfanato da Cidade, 04. Grassava euforia em toda a Província pelo novo empreendimento.

guara_230217_3

Em em 1° de março de 1942, num domingo, inauguração. Oficial. Era o Ministro Provincial Frei Mateus Hoepers. Veio para a festa em seu lugar, o Definidor Frei Ernesto, dado que o Provincial adoecera.

Às 8h30, Frei Eernesto presidiu a Missa Solene: “Eu vos escolhi para que vades e recolhais frutos que permaneçam”, disse Jesus. Daí, a Igreja tem esse cuidado pelas vocações. E mais uma vez, lembrou São José, como Protetor do Seminário Frei Galvão. A essa altura, já havia a Igreja, como é hoje, e no dia 20 de dezembro, nela foi celebrada uma Missa Solene.

E assim, o Seminário fez história como espaço para cultivar vocações, preparando os jovens para as outras séries que se davam no Seminário Santo Antônio, em Agudos, como sendo o Primeiro Grau, como se falava então.

Por esta Casa, muitos dos nossos Confrades passaram e vivem saudades em seus corações. Eles foram seminaristas ou formadores daqueles tempos… depois, veio a fundação do SEVOA, Seminário de Vocações Adultas, a partir de 1965. E muitos viveram aqui, quando se passou a Postulantado, além do de Agudos. Hoje, é o único Postulantado da Província. Muitos desses nossos confrades ainda estão vivos pela Província, outros convivem entre os santos na eternidade e oram por todos nós!…

“Recordar é viver, eu sempre sonhei com você!”, diz-nos uma marchinha. Assim, acreditamos, que muitos confrades que aqui viveram, ou por aqui passaram, ficaram marcados por este querido e histórico Seminário! E hoje gostariam de saborear sua história, no coração e na vida! E render graças, por intercessão de São José e de Frei Galvão, ao Sumo e Altíssimo Senhor, o Doador de todos os Dons!

Frei Walter Hugo de Almeida, OFM

guara_230217_5

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.